PRAIA DO FLAMENGO, 132

Direção: Clovis Molinari Jr.

Documentário, Cor, Digital, 17min, 1980, RJ

Faixa etária sugerida: anos

PRAIA DO FLAMENGO, 132
Foto: Divulgação

Sinopse:

Registro do conturbado processo de demolição do imóvel da antiga sede de UNE – União Nacional dos Estudantes, na Praia do Flamengo, Rio de Janeiro. Em 1942, em meio aos acontecimentos da Segunda Guerra Mundial, os estudantes ocuparam o prédio onde funcionava o Clube Germânia. Ainda naquele ano, o presidente Getúlio Vargas formalizou a doação do imóvel para a entidade, que instalou ali o primeiro restaurante estudantil do país. Até o golpe de 1964, o endereço foi cenário de importantes lutas nacionais, como a campanha “O Petróleo é Nosso”, que precedeu a criação da Petrobras. Foi lá também que, nos anos 1960, artistas como Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha (1936-1974), Ferreira Gullar e Cacá Diegues fundaram o CPC (Centro Popular de Cultura) da UNE, referência para o movimento cultural estudantil. O prédio foi incendiado em abril de 1964, um dia depois do golpe militar, e foi demolido pelos militares na década de 1980, durante o renascimento do movimento estudantil na esteira da reabertura política. O filme faz o registro das mobilizações estudantis e da forte repressão policial. Cerca de 500 policiais militares reprimiram com bombas e cassetetes uma das manifestações. Quatro parlamentares são feridos e 14 pessoas presas. A demolição do prédio – alegadamente por razões de segurança – havia sido suspensa na véspera pelo juiz Carlos Aarão Reis, da 3ª Vara Cível. Para fazer valer sua ordem, o juiz chegou a dar voz de prisão a 13 operários que trabalhavam na derrubada do imóvel e a mostrar um revólver aos agentes da Polícia Federal. Meses antes, a nova direção da UNE eleita em 1979 havia anunciado que iria restaurar e ocupar sua antiga sede, incendiada em 1º de abril de 1964, quando era o centro da resistência dos estudantes ao golpe. A decisão de demolir o prédio, que pertencia ao patrimônio da União, foi tomada logo depois do anúncio de que os estudantes voltariam ao Flamengo. Durante uma semana houve manifestações e conflitos diante do imóvel. A liminar do juiz Aarão Reis acabaria sendo cassada pelo Tribunal Federal de Recursos e a demolição foi concluída.

EXIBIÇÃO

04/12 | segunda • 19h30
Cine-Pátio - Arquivo Nacional